As Regiões Turísticas do Rio de Janeiro


O Rio de Janeiro, com a diversidade de paisagem é demarcado em várias regiões turísticas, porém possuem seis que mais se destacam: Metropolitana, Serra Verde Imperial, Costa do Sol, Costa Verde, Vale do Café e Agulhas Negras. Cada uma delas apresentando um conjunto de atrativos que a caracteriza.

No mapa abaixo, são todas as regiões do Rio de Janeiro.

                                  

Neste mapa as 6 regiões que se destacam:


(Fonte: Plano Diretor de Turismo do Estado do Rio de Janeiro -2001)

1) Região Metropolitana
A Região Metropolitana é composta por duas cidades Rio de Janeiro e Niterói, ambas fazendo fronteira com a Baía de Guanabara e Oceano Atlântico. 

O mapa a seguir mostra o destaque da região Metropolitana.


(Fonte: Plano Diretor de Turismo do Estado do Rio de Janeiro -2001)

Rio de Janeiro
Fazer no turismo no Rio de Janeiro é entrar em uma infinidades de atrativos que vão das belezas naturais ao acervo colonial representados por três categorias de arquitetura: a militar, a religiosa e a civil.

Belezas Naturais - A Geografia

O Rio de Janeiro possui uma superfície reduzida com cerca de 120Km2. É resultado de uma formação geológica em que entram componentes como o mar, as montanhas com florestas, escarpas nuas e as planícies.

Seus principais cartões postais são o Corcovado, o Pão de Açúcar e a Praia de Copacabana. As montanhas com um verde salpicado de prateado, amarelo e roxo, e as elevações arredondadas por intensa erosão, formam três conjuntos: Maciço da Tijuca, Maciço da Pedra Branca e o Maciço de Gericinó.  Além dos maciços há as planícies, nas quais encontramos atrativos como as praias da Prainha, Grumari, Barra da Tijuca, Recreio, Leblon, Ipanema, Arpoador, Copacabana, Praia Vermelha (Urca), enseada de Botafogo, Flamengo. Nessa baixa encontramos  também a Lagoa Rodrigo de Freitas, local de lazer e de prática de esportes dos cariocas, principalmente, nos feriados e fins de semana.

Acervo Histórico - História

A fundação do Rio de Janeiro, no século XVI, com forte caráter de defesa do território, foi explorada por uma expedição comandada por Gaspar de Lemos em 1502. Teve o seu núcleo situado em dois espaços: primeiramente entre os morros Cara de Cão e o Pão de Açúcar, e, posteriormente, no morro de São Januário, chamado de Castelo. Do morro para a planície, dos arredores do centro para São Cristóvão (2ª acomodação da Família Real), a cidade teve o seu processo de expansão relacionada aos vários momentos da política/economia do Brasil em suas diferentes formas de administração.
O Rio de Janeiro foi a primeira capital da Colônia, do Império e da República (1763-1960) acumulou   um  acervo arquitetônico que hoje compõe os seus principais atrativos turísticos.
Da arquitetura Colonial, permaneceram verdadeiras relíquias, como o Paço Imperial, primeira residência oficial da Família Real Portuguesa. Muitas igrejas também data do Período Colonial, como a Igreja de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores, a Igreja Santa Cruz dos Militares, e a Igreja da Ordem Terceira do Carmo.



Paço Imperial, Praça XV de Novembro, 48. Horário: terça a domingo - 12h às 16h
(Foto: Google Imagem)


Igreja Santa Cruz dos Militares. Rua Primeiro de Março,36. Aberto: Segunda a Sexta. Horário: 8h às 16h. Sábado e Domingo 8h às 12h. (Foto: Google Imagem).


Igreja Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores. Rua do Ouvidor 35. Aberto: Segunda a Sexta. Horário:  8h às 14h. (Foto: Google Imagem).


Igreja da Ordem Terceira do Carmo. Rua Primeiro de Março s/n. Aberto: Segunda a Sexta. Horário: 9h às 17h. (Foto: Google Imagem).

O Rio de Janeiro é uma cidade de múltiplas temporalidades. Muitas vezes em um só espaço encontramos construções de diferentes épocas.


Niterói

A proximidade geográfica entre Niterói e Rio de Janeiro, ao mesmo tempo unidas e separadas pelas águas da Baía de Guanabara, determinou, desde sempre, uma profunda interligação histórica, econômica e política.
Segundo o guia Michelin (1990; pág 109), Rio de Janeiro, Cidade e Estado, “...na segunda metade do século XVII, a travessia marítima entre essas duas cidades era feita através de botes e de faluas, inicialmente a remo e depois a vela, tripulados por escravos. Era desconfortável, demorada e perigosa, podendo levar de 2 a 4 horas, conforme as condições climáticas. No início do século XIX vieram as embarcações a vapor e hoje as barcas.”
A Ponte Rio-Niterói (Presidente Costa e Silva), com 14 Km de extensão, foi inaugurada em 1974, transformando-se num fator de desenvolvimento do comércio, da indústrias do turismo, tanto para Niterói  como para a Costa do Sol.

Niterói possui uma história Colonial ligada à invasão francesa no Brasil, na qual Araribóia, recebeu em reconhecimento aos serviços prestados por ele e seus guerreiros (expulsão dos Franceses) as terras das ” Bandas do Além”, isto é, do outro lado da baía. A data da posse foi em 22 de novembro de 1573- data comemorada como a fundação de Niterói.

Com a morte de Araribóia, as terras da sesmaria foram divididas surgindo povoados vizinhos, fazendas, e a partir da segunda metade do século XVII engenhos de açúcar, fábricas de aguardente, olarias e um comércio próspero. Surgem então os povoados de São Domingos, Praia Grande, São João de Icaraí, São Sebastião de Itaipu e São Gonçalo.

Com relação aos aspectos físicos Niterói, possui praias da Baía de Guanabara, ótimas para a prática de esportes e caminhadas, como Icaraí, Boa Viagem , Jurujuba,  São Francisco, Charitas e as praias de oceano como Itacoatiara, Piratininga, Itaipu que convidam ao banho de mar. Para os adeptos do ecoturismo, Niterói dispõe do Parque Nacional da Serra da Tiririca, região com 2400 hectares de área verde.

2) Serra Verde Imperial

Situada na parte central do Estado do Rio de Janeiro, exatamente por onde passa a Serra do Mar, é uma região na qual as suas cidades encontram-se localizadas em meio a serra e muito verde. É composta pelas cidades: Petrópolis, Teresópolis. Nova Friburgo, Guapimirim e Cachoeiras de Macacu.
No mapa abaixo a localização da Região Serra Verde Imperial:

                        
                             (Fonte: Plano Diretor de Turismo do Estado do Rio de Janeiro -2001)

Petrópolis

O Império Brasileiro tem a sua história apresentada por essa cidade. Fundada pelo Imperador D. Pedro II, em 1843, tinha como propósito ser o local de veraneio da Família Imperial. Possui construções que ajudam a contar a história desse período do Brasil.
Teresópolis

Situada na Serra dos Órgãos, Teresópolis é o município mais alta cidade do Estado do Rio de Janeiro (871 metros). Recebeu esse nome em homenagem a Teresa Cristina, esposa de D. Pedro II. Assim como Petrópolis, os aspectos naturais, principalmente, o clima a fizeram ser usada pela família imperial, principalmente para o descanso e lazer.
Entre os seus atrativos turísticos estão o Parque Nacional da Serra dos Órgãos e a Granja Comary.
Nova Friburgo

Um passeio por Nova Friburgo não pode deixar de incluir um roteiro gastronômico com fondues e vinhos, a passagem pelo comércio de lingerie e uma tarde na Praça das Colônias.


Cavalgadas e trekking são atividades recomendadas, também como banhos de cachoeiras, principalmente no distrito de Lumiar.
Guapimirim

O município recente da região, situado na base do Pico Dedo de Deus, formação geográfica  símbolo da região, que pode ser visto de diversos pontos. Cerca de 70% do seu território está distribuído em cinco áreas de preservação ambiental.

Cachoeiras de Macacu


O município faz fronteiras com Teresópolis, Nova Friburgo e Guapimirim é o berço da preservação ambiental. O próprio nome do município explica a sua ligação com a natureza e o tipo de turismo que é encontrado em Cachoeiras de Macacu.

O Turismo Cultural pode ser praticado a partir do levantamento histórico das Ruínas de São José da Boa Morte e da Igreja de Sant`Ana de Japuíba, ambas do século XVII .

3) Costa do Sol


Localizada na parte leste do Estado do Rio de Janeiro, como o próprio nome diz, é uma área no qual o turismo refere-se ao lazer de sol e mar. Praias e lagoas belíssimas fazem parte dessa região e encantam quem as frequenta. Os municípios que fazem parte são: Armação de Búzios, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Maricá, Rio das Ostras, Macaé, Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, Casimiro de Abreu, São Pedro da Aldeia, Quissamã e Carapebus.

A seguir o mapa com a localização da região da Costa do Sol:


(Fonte: Plano Diretor de Turismo do Estado do Rio de Janeiro -2001)


Colocado no circuito turístico na década de 1960 devido a visita da atriz francesa Brigitte Bardot. O local possui mais de 20 praias, em um litoral bastante recortado. As principais enseadas abrigam barcos de pesca e iates; nas praias, as modestas casas de pescadores estão sendo substituídas por luxuosas residências.  Nas ruas antigas, com calçadas de pedras irregulares, encontram-se bares, restaurantes e comércio variado e sofisticado.



 Estátua de bronze da atriz francesa Brigitte Bardot em Armação de Búzios. 
(Foto: Google Imagem).

Cabo Frio

Em 1503, vindo da Baia de Todos os Santos,  sob o comando de Américo Vespúcio aportou em Cabo Frio para carregar os navios de pau-brasil e lá deixou marinheiros com o objetivo de estabelecer uma feitoria. Essa feitoria foi fundada na praia dos Anjos (hoje Arraial do Cabo).  Somente em 1511 a ocupação inicia-se com a exploração das matas que ocupavam Cabo Frio. 
Teve a presença dos franceses que aliados primeiro aos índios Tamoios e depois aos Índios Goitacases também exploraram o pau brasil

Cabo Frio, cresceu lentamente, com a sua economia baseada na extração do pau brasil, na pesca e no século XIX com a exploração comercial do sal. A partir da década de 1950 a cidade inicia o direcionamento da sua economia para o Turismo e  torna-se cidade-balneário. Geograficamente, possui praias com águas límpidas, areias brancas formando dunas enormes e enseadas em praias de mar aberto.
Arraial do Cabo
Uma ponta ao sul do território de Cabo Frio, Arraial do Cabo é formado de enseadas de águas tranquilas e transparentes. Pequeno município com 160 Km2,  possui características de vila de pescadores. Viveu um processo histórico de ocupação semelhante a Cabo Frio, possui alguns atrativos que contam a história essa época.
Maricá e Saquarema

Praias oceânicas e lacustres fazem o perfil turístico desses municípios. Antigas  aldeias 
de pescadores, tiveram a prosperidade durante a produção de cana de açúcar. 
Ainda hoje reservam aos visitantes além das paisagens naturais, construções históricas do período colonial.
Rio das Ostra e Casimiro de Abreu

Dois municípios onde o turismo encontra aventuras como  rapel, escaladas , praias, banhos 
de rio, rafting, prática de mergulho e pesca de arremesso.
Araruama, Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia

A colonização da área onde se localizam esses municípios aconteceu por volta do século XVII. São Pedro da Aldeia tem a presença de muitas construções dessa época. Os três municípios têm a vida econômica em torno das lagoas de Araruama e Juturnaíba tanto para a pesca, como para o turismo. A produção do sal que havia na região foi extinguida e na área foi construídos loteamentos.
Macaé, Quissamâ e Carapebus

Os três municípios que possuem em comum abrigar faixas do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba apresentam itens que os diferenciam: Macaé pela grande exploração de Petróleo, Quissamã por desfrutar das águas doces, mornas e escuras da Enseada do Tatu e Carapebus por sua lagoa que recebe o mesmo nome do município.

4) Costa Verde

Uma das mais bonitas e exóticas regiões da costa brasileira, na qual a Serra do Mar encontra o oceano Atlântico e ambos se confundem, principalmente quanto ao verde da vegetação e o verde das águas das praias. Formada pelos municípios de Angra dos Reis, Paraty, Mangaratiba, Itaguaí e Rio Claro.

No mapa abaixo as Regiões da Costa Verde:


(Fonte: Plano Diretor de Turismo do Estado do Rio de Janeiro -2001)

Angra dos Reis
Os portugueses chegaram nessa área em 6 de janeiro de 1502, dia da festa dos Reis Magos.
razão do nome do município. Hoje o turismo em Angra dos Reis divide-se em usufruir a 
paisagem que demarca o seu visual - o mar e as ilhas - e os elementos da 
história colonial brasileira, como a Igreja e o Convento de Nossa Senhora do Carmo.



Na foto acima a Igreja e o Convento de Nossa Senhora do Carmo. 

Fachada do conjunto carmelita de Angra dos Reis. Da direita para a esquerda: Igreja dos 
Terceiros do Carmo, torre sineira, Igreja do Carmo, vista parcial do Convento do Carmo. 
(Fonte: Wikipédia)
Paraty
Patrimônio Histórico Nacional, esse município tem a sua importância ligada ao ciclo do ouro, 
pois chegou  a ser uma das cidades mais prósperas  da Colônia e do início do Império. Visitar Paraty significa fazer uma viagem no tempo, onde o passado está vivo em cada sobrado, em cada igreja, rua ou pedra de calçamento. Situada de frente para o mar, possui praias abrigadas pela baía de Parati e praias de oceano.
Mangaratiba e Itaguaí 
Dois municípios com uma rica paisagem costeira com belas ilhas e recantos aprazíveis para o turismo. Em Mangaratiba a ilha de Jaguanum é o destaque.




Ilha de Jaguanum - Mangaratiba Fonte: http://www.ilhastropicais.com.br/a_ilha_fotos.php 
Rio Claro
Diferente dos outros municípios da Região da Costa Verde, Rio Claro apresente um 
turismo de cachoeiras, montanhas, rios cristalinos num clima de vida do campo. O turismo de Rio Claro é formado por ecoturismo e esportes radicais.

5) Vale do Café

Esta região do Vale do Café, com intensa participação na história econômica brasileira do 

ciclo do café, tem suas marcas do passado representadas pelas antigas fazendas de café 

que conservam áreas como a casa grande, senzala, áreas de plantio e matas. Formada pelos 

municípios de Vassouras, Valença,Barra do Piraí, Rio das Flores, Miguel Pereira, Piraí, 

Paty dos Alferes, Pinheiral, Mendes, Engenheiro Paulo de Frontin, Barra Mansa, 

Volta Redonda Paracambi apresentam hoje uma variedade de opções turísticas.



No mapa a seguir a localização do Vale do Café:




(Fonte: Plano Diretor de Turismo do Estado do Rio de Janeiro -2001

Esses municípios viveram na opulência da produção do café e que possuem várias propriedades rurais e hotéis que hoje procuram manter a tradição do Brasil Imperial. Um passeio por essas cidades, muitas vezes nos transporta para um dia qualquer, na casa 
grande, com a família do senhor de café, para saborear quitutes típicos. 
Volta Redonda e Barra Mansa

Importantes pólos industriais do país, os dois municípios possuem construções históricas 
importantes. 
Miguel Pereira

Colinas, montanhas, lagos fazem parte da paisagem desse município. A produção de 
cachaça também faz parte. O turismo é bem estruturado, pois  conta com uma rede 
de pousadas e hotéis. 

6) Agulhas Negra

Composta pelos municípios de Resende, Itatiaia Quatis e Porto Real. É a Região da Serra da 
Mantiqueira, na divisa com o estado de Minas Gerais envolta em uma vegetação exuberante 
com um turismo desenvolvido aos moldes europeus.

No mapa a seguir o destaque para a Região das Agulhas Negras.


                                (Fonte: Plano Diretor de Turismo do Estado do Rio de Janeiro -2001)

Resende e Itatiaia

Municípios encravados na serra da Mantiqueira apresentam características do ciclo da 
mineração e do café, nos séculos XVIII e XIX. Em Itatiaia está situado o Parque Nacional 
do Itatiaia. 
Quatis e Porto Real

Municípios com muitos hotéis fazenda, em meio a lugares tranquilos, de natureza abundante. 
Trazem a lembrança da 1ª colônia de italianos do Brasil.

Espero que tenham gostado do post sobre as regiões turísticas do Rio de Janeiro. Até o próximo post!

👉 Curta a fanpange no Facebook: https://www.facebook.com/riodejaneirocitytour/

Comentários

Posts mais acessados